quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Let's start, let's love

Começar do zero, qualquer coisa, seja ela qual for nunca é tarefa fácil. O primeiro dia estamos cheios de motivação, o segundo ainda vamos bem balançados se o primeiro tiver corrido bem e o terceiro vem com aquela dor abdominal agradável, que mesmo que nos custe, tem sempre um sabor agridoce. 

Uma das minhas grandes motivações de começar a treinar de novo, vem da maturidade de entender que não os resultados rápidos que nos fazem bem, mas sim ser paciente. Muito paciente e viver. Isso...essencialmente viver. 

Para isso é preciso saber crescer e aceitar-nos a nós próprios tal como somos. Só assim somos capazes de olhar o espelho e entender que está tudo bem, só que ainda queremos mais e melhor. Acreditem, não vem com um abrir e fechar olhos, não vem porque deixas de comer um caramelo que a tua colega do trabalho te ofereceu, vem...da paciência, dessa vontade infinita de viver e querer te olhar mais e melhor. 

É assim e ai que vai-se buscar a força e a coragem de começar de novo. Em tudo, seja no que for. 

Dizem que há o tempo certo para tudo...e eu cada vez acredito mais que sim.

Let's do this! 


quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Desabafos #3


Sabem quando estamos perante uma situação na vida que tudo parece uma incognita? Quando procuramos respostas e elas parecem inexistentes? Existem dias assim. Dias que nos vamos mais abaixo, dias que não sabemos como reagir e depois existem os dias em que, de qualquer forma, nos levantamos e vamos de novo à luta. É assim a vida, dizem. 

Não deixa de ser diferente para ninguém, muito menos para mim. Quando preciso de respostas e por incrível que pareça, ela lá vem me procurar da mesma forma e aparece das mais determinadas formas. Hoje foi assim, numa imagem, num canto superior esquerdo de uma página e eu adorei...porque afinal de tudo, encaixa na perfeição. 

É só mais um impulso para me empurrar para todo o meu futuro e não desistir. Por mais teimosa que seja essa palavra, existem tantas razões para o fazer...mas porque não contrariar isso? 

Patrícia